Setembro Amarelo – Saúde mental dos caminhoneiros

Viagens de longas distâncias, prazos curtos, estradas precárias, violência… Essas são algumas das dificuldades de quem trabalha no meio rodoviário, principalmente dos caminhoneiros. Muitos desses assuntos já foram tratados em artigos anteriores, mas ao passar por tudo isso, como fica a saúde mental dos motoristas? Tocar nessa pauta é culminar todas as anteriores. Desde as aflições e dificuldades, os prazeres, os sentimentos para com a profissão… Não há bons resultados sem boa saúde, mas nem todos os problemas são físicos, e se a mente não estiver sã pode levar a problemas maiores. Sabemos que no Brasil ainda temos uma maioria masculina no mercado do transporte, 93.8% são homens,  tão como esses tem mais dificuldade em ter cuidados com sua saúde. Frequências médicas, exames preventivos, boa alimentação entre outros cuidados estão ainda longe de ser prioridades para a maioria masculina. Com isso torna-se mais fácil o desencadear de outros problemas de saúde. Segundo o estudo "Agravos à saúde, hipertensão arterial e predisposição ao estresse em motoristas de caminhão", publicado na Revista da Escola de Enfermagem da USP, de 258 motoristas entrevistados, 33% eram portadores de possíveis transtornos mentais. As maiores frequências de respostas positivas foram:
  • Sentir-se nervoso, tenso ou preocupado (56%)
  • Dormir mal (47%);
  • Sentimento de tristeza (38%)
  • Presença de dores de cabeça (37%);
  • Ter dificuldade para tomar decisão (30%)
  • Má digestão (30%);
  • Sensação desagradável no estômago (26%);
  • Sentir cansaço freqüente (23%)
  • Tremores nas mãos (23%)
  • Dificuldade de pensar com clareza (20%)
Os números assustam quando se vê na perspectiva onde ⅓ dos profissionais, que são a base da logística nacional, estão com pré-disposição ou já estão com problemas psicológicos. As mudanças a serem feitas são diversas, muitas no próprio mercado e nas cobranças impostas aos motoristas, exigindo-os cargas altíssimas de trabalho para que as metas sejam batidas. Entretanto, sabemos que mudanças maiores são mais difíceis, e por isso é importante os profissionais tomaram medidas particulares para cuidar de sua saúde mental. São mudanças próprias, que já possuem significativo valor em como a mente a o corpo recebem.

Dicas para uma melhor saúde mental:

Essas são ações pontuais que podem ajudar o caminhoneiro, ou demais profissionais de logística, a mudar seu comportamento e ajudá-lo quanto a saúde psicológica.
  1. Auto avaliação: Pontue, com sinceridade, quais os principais problemas que vem sentindo. Seja com o veículo, com pessoas que o incomodam, com dores físicas, e com as angústias. Após pontuado, elenque o que ou quem poderia resolver. Essa simples ação já ajuda a clarear um pouco os problemas, tornando alguns até mais simples.
  2.  Distância, Solidão e Família: A solidão das estradas é um forte fator entre os caminhoneiros. São horas, dias, com a companhia de música, rádio e dos pensamentos, mas a falta de diálogo deixa sua marca. Hoje tornou-se mais fácil quebrar essa distância com o uso das tecnologia. É importante que se tenha uma frequência de ligações com amigos e familiares, para conversar, distrair e relaxar.
  3. Exercícios: Quando falamos de exercícios, não necessariamente falamos de longas atividades ou de academia. Mas de uma caminhada no tempo livre, ou uma corrida… E no período de viagens, muito importante que se faça alongamentos. Doenças cardiovasculares, tão como algumas ligadas ao tempo excessivo sentado, são recorrentes.
  4. Procurar ajuda: Quando o problema é grande e ações isoladas não conseguem resolvê-lo, não há problema em buscar ajuda. Contudo, ainda há um preconceito quanto a isso. Buscar ajuda é focar na sua saúde, no seu bem, e no bem dos que o cercam.
  5. CVV (Centro de Valorização a Vida): Caso tenha dúvidas se realmente precisa de um acompanhamento psicológico, ou se tem a ciência, mas não sabe como começar, procure conversar com alguém do CVV (telefone 188, email e chat 24 horas todos os dias). Serão profissionais voluntários prontos para receberem demanda de queixas de ordem emocional. Seu foco principal é ajudar a combater e evitar suicídios, mas aceitam demandas de dificuldades emocionais, e saberão guiá-lo na ajuda que deve ser tomada.
As dificuldades são enormes, em tempos de pandemia as demandas aumentaram, tornou-se ainda maior a carga de trabalho aos profissionais da logística, mas a valorização pela saúde deve prevalecer. Identificar mudanças de comportamento repentino, tristeza, ansiedade, entre outros sintomas, é importante. Reflita sobre o que foi percebido, busque se cuidar e ter uma vida melhor. Setembro Amarelo é o mês de prevenção ao suicídio, tão como outros meses temáticos, são pautas que devem ser frequentes. Profissões que demandam demais do físico e do mental, possuem valor gigantesco aos consumidores e usuários do produto ou serviço, mas o valor da vida está acima de qualquer coisa. Cuide-se! Valorize-se! Por você e por aqueles que o amam. Fontes: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0080-62342009000600021&script=sci_arttext&tlng=pt https://www.scielosp.org/article/sausoc/2008.v17n4/35-45/#
https://trucao.com.br/como-vai-a-saude-dos-caminhoneiros/
http://www.examepelobem.com.br/pt-br/post/motorista-que-tal-cuidar-da-sua-saude-mental/ https://blog.rodojacto.com.br/saude-do-caminhoneiro-dicas-para-melhorar-a-vida-nas-estradas/ https://exametoxicologico.labet.com.br/como-evitar-que-rotina-afete-saude-mental-do-motorista/
https://www.ocarreteiro.com.br/saude-mental-na-estrada/
https://www.cvv.org.br/conheca-mais/